Aplicativo criado por professora e ex-mestrando de Ciências Cardiovasculares é produto de dissertação do mestrado

Endocardite infecciosa é uma doença que compromete válvulas cardíacas, e resulta em importantes complicações e mesmo morte em cerca de 25% dos afetados. Em cerca de 50% dos casos, quando afeta as válvulas mitral ou aórtica, se faz necessária cirurgia cardíaca, para remoção da válvula infectada e sua substituição por uma válvula artificial. Essa cirurgia, embora necessária em vários casos, é uma cirurgia de grande porte e pode ter desfecho
desfavorável, tendo chance de morte.
O projeto “Avaliação do desempenho de escores de prognóstico de cirurgia cardíaca em pacientes submetidos à troca valvar por endocardite infecciosa no Instituto Nacional de Cardiologia, anos de 2006 a 2016” , do curso de Mestrado Profissional em Ciências Cardiovasculares foi desenvolvido em 2015 e 2016, defendido e aprovado em 2016. É da
autoria do Dr. Alexandre Bahia Barreiras Martins , sob orientação da Dra. Cristiane Lamas. A estatística do projeto foi feita pelo estatístico Marcelo Goulart Correia.
O aplicativo EndocarditeInc é produto dessa dissertação. Encontramos esse escore como o mais preciso para determinar o risco de morte em cirurgia cardíaca para endocardite, quando comparado aos escores usualmente utilizados, como o STS-IE e o Euroscore I e II. Nossa amostra foi de 154 pacientes submetidos a troca valvar por EI no INC, de 2006 a 2016. Valores de área sob a curva (area under the curve,AUC) foram 0.86 (Euroscore I), 0.90
(Euroscore II) e 0.85 (STS-IE). Após análise multivariada, encontramos que as variáveis estatisticamente significativas como preditoras de morte foram bloqueio atrioventricular (BAV), com p<0.01, OR 22.1, IC 3.48-140; choque cardiogênico (p<0.05, OR 5.6, IC 1.49-21.2) diabetes mellitus insulino- dependente (p<0.01, OR 14.2, IC 2.32-86.6), Gram negativos não-HACEK (p<0.01, OR 54, IC 2.65-110) e uso de inotrópicos (p<0.001, OR 14.4, IC 3.33-62.4). Quando incluídos em um modelo, que denominamos escore INC-Rio, a sensibilidade foi de 88.9% e a especificidade de 91.8%, sendo a AUC 0.97. Os valores gerados na calculadora significam em quantas vezes o indivíduo que tem uma ou mais dessas variáveis tem risco de óbito na cirurgia de troca valvar por endocardite infecciosa.

Apoio: FAPERJ, edital JCNE 2015-2018

 

Link para Android – https://play.google.com/store/apps/details?id=br.com.app.gpu2065809.gpu9a035aab7bb284c4b19ccc25b0efe7c1&hl=pt_BR

 

Written by